Lia Gama revela infância de violência em que era agredida pelo pai e madrasta

A atriz revelou que nunca conseguiu sentir amor pelo pai agressor.
Lia Gama
Lia Gama
Foto: Direitos Reservados
09 mar 2019 • 20:23
A atriz Lia Gama foi a convidada desta semana do programa "Alta Definição", conduzido por Daniel Oliveira, na SIC. Aos 74 anos, a atriz recordou uma infância marcada pela violência física de que foi vítima. 

Lia definiu-se como o "bombo da festa" de uma família que não sabia o que era amar nem o que era dar afetos. O pai e a madrasta eram os agressores. 

"Era tão agredida fisicamente que as vizinhas fizeram uma carta anónima para o Tribunal de Menores a queixarem-se de uma criança. Eles foram julgados e absolvidos. Fui interrogada várias vezes, fizeram-me vários exames no Instituto de Medicina Legal e eu nunca os denunciei", referiu.

A atriz revelou que nunca conseguiu sentir amor pelo pai agressor. Aos 13 anos saiu de casa após ter arranjado um trabalho num cabeleireiro. O pai, ao saber, voltou a agredi-la. Lia afirma que essa foi a última vez que o fez. 

Antes de morrer, o pai da atriz pediu-lhe desculpa. "Quem me fez realmente mal eu não esqueço nem perdoo, mas o meu pai merece perdão, coitado dele", confessou. 
Mais sobre
Newsletter
topo