Liliana Campos chocada com mensagens enviadas às filhas de Pedro Lima: “Não sejam maus para aquelas crianças”

Apresentadora da SIC emocionou-se ao falar sobre a morte do ator.
Liliana Campos e Pedro Lima
Liliana Campos e Pedro Lima
Liliana Campos, Pedro Lima
Pedro Lima e a mulher, Anna
Liliana Campos e Pedro Lima
Liliana Campos e Pedro Lima
Liliana Campos, Pedro Lima
Pedro Lima e a mulher, Anna
23 jun 2020 • 11:23

Liliana Campos, madrinha do filho mais velho de Pedro Lima, começou o programa ‘Passadeira Vermelha’ esta segunda-feira, dia 22 junho, por dedicar umas palavras ao ator, que foi encontrado morto este sábado, na praia do Albano, em Cascais.

A apresentadora da SIC mostrou ainda a sua indignação perante as mensagens que as filhas do ator, Ema, de 15 anos, e Mia, de 13, estão a receber. "Queria pedir aos coleguinhas de escola da Emma e da Mia que pensassem. Estas crianças estão a receber mensagens a dizer que é bem feita terem perdido o pai. Isto é terrível para uma criança que ainda não sabe o que a espera. É um trauma que vai carregar para o resto da vida, quanto mais mensagens destas. Está em casa, veja o que é que os seus filhos fazem", apelou a comunicadora.

Liliana não se ficou por aqui: "São crianças ou pré-adolescentes com muita maldade intrínseca. Se há aqui alguma coisa que é para pedir é que não estejam a ser maus para aquelas crianças que estão a sofrer horrores", acrescentou.

Visivelmente emocionada Liliana Campos, recordou a sua ligação de proximidade com Pedro Lima, desmentindo também a informação de que teria sido uma das pessoas próximas do ator a receber uma mensagem do mesmo antes de partir.

"O Pedro é meu compadre. Conhecemo-nos há quase 30 anos e desde o momento em que o João Francisco  (filho mais velho do ator) nasceu ele passou a ser meu compadre e eu a madrinha. Nunca mais ouvi o Pedro dizer o meu nome. Nos últimos dias muita coisa foi escrita, foi dita, e eu queria que soubesse por mim que nem eu, nem o Rodrigo (marido da apresentadora) recebemos as tais mensagens antes de acontecer o que aconteceu. Foram dois amigos do Pedro que também estavam presentes na praia do Abano", explicou a apresentadora.

"O Pedro não é culpado, os amigos não são culpados, muito menos a Anna e os meninos. Se não tiver nada para dizer, não escreva isso, porque pode estar a causar uma dor enorme a quem está do outro lado. Já basta o que basta, já basta toda esta tragédia, tudo isto que não há palavras para descrever", frisou a comunicadora, apelando a que não sejam atribuídas culpas pelo que aconteceu.

Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo