Mãe de Diogo Carmona conta tudo sobre violência do filho: "Ameaçou-nos de morte"

Apesar do drama que viveu, Patrícia Carmona admitiu que não quer ver o jovem preso.
Patrícia Carmona esteve à conversa com Manuel Luís Goucha sobre a violência do filho, Diogo Carmona
Patrícia Carmona esteve à conversa com Manuel Luís Goucha sobre a violência do filho, Diogo Carmona
Patrícia Carmona esteve à conversa com Manuel Luís Goucha sobre a violência do filho, Diogo Carmona
Patrícia Carmona esteve à conversa com Manuel Luís Goucha sobre a violência do filho, Diogo Carmona
Diogo Carmona e a mãe
Diogo Carmona
Diogo Carmona
Diogo Carmona
Diogo Carmona
Diogo Carmona
Patrícia Carmona esteve à conversa com Manuel Luís Goucha sobre a violência do filho, Diogo Carmona
Patrícia Carmona esteve à conversa com Manuel Luís Goucha sobre a violência do filho, Diogo Carmona
Patrícia Carmona esteve à conversa com Manuel Luís Goucha sobre a violência do filho, Diogo Carmona
Patrícia Carmona esteve à conversa com Manuel Luís Goucha sobre a violência do filho, Diogo Carmona
Diogo Carmona e a mãe
Diogo Carmona
Diogo Carmona
Diogo Carmona
Diogo Carmona
Diogo Carmona
23 jun 2020 • 17:53
Patrícia Carmona desabafou no programa 'Você na TV' (TVI) sobre a violência doméstica que sofreu às mãos do filho, Diogo Carmona, que acabou de ser condenado a quatro anos de prisão com pena suspensa.

Diogo Carmona desmentiu as acusações da mãe, alegando que "foi tudo planeado maleficamente" e que sempre que foi "mais agressivo" foi em "resposta a alguma ação" da mãe. 

No entanto, a mãe decidiu voltar a esclarecer o drama publicamente. "Em 2015, a convivência entre nós começou a ser menos pacífica. Foram sempre discordâncias, quando ele era contrariado. Foram-se agravando", revelou Patrícia.

"Não sei precisar o número de vezes que levei pontapés. Deu-me estalos, apertou-me o pescoço ou o maxilar com força. Socos, chapadas... Chegou a uma altura em que começou a ser recorrente. Várias vezes saí de casa e dormi no carro com medo dele. Temi pela minha vida", contou, acabando por não conter as lágrimas.

"Ele chegou a dar-me uma pancada na cara e eu fiquei a sangrar. A força das agressões era cada vez maior", continuou. 

"Chego a este ponto da minha vida em que perdi tudo, perdi a minha dignidade a partir do momento em que nós permitimos que as coisas cheguem a um ponto de agressão física, mesmo por parte de um filho", afirmou, recordando os episódios de violência.

"Eu não quero ver o meu filho preso, ele não é um criminoso. Agrediu-me e agrediu a minha mãe, ameaçou-nos de morte. Não digo isto com leveza, mas o meu desgaste já é tão grande que neste momento as coisas já estão mais longe. O que preciso agora é de chegar ao fim disto e saber que ele vai ficar bem de alguma forma", realçou
 em conversa com Manuel Luís Goucha.

Patrícia Carmona afirmou que "não queria ver o filho preso". "Ele precisa de ser acompanhado e tratado. Quero que ele encontre paz dentro dele", defendeu, contando que o filho tem um problema de saúde e sofre de um quatro psicótico devidamente diagnosticado.

Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo