Marco Paulo revela drama devido à quimioterapia: "Senti que o meu cabelo estava a cair"

Artista iniciou os tratamentos médicos no início de fevereiro.
Marco Paulo
Marco Paulo
Marco Paulo
Marco Paulo
Marco Paulo
Marco Paulo
Marco Paulo
Marco Paulo
28 fev 2020 • 13:42

Marco Paulo, de 75 anos, está a lutar contra um cancro na mama. O artista marcou presença n'O Programa da Cristina', da SIC, esta sexta-feira, 28, e voltou a falar sobre o problema de saúde e esclareceu o "pesadelo" que enfrentou em 1996.

"Nunca me passou pela cabeça passar por mais uma luta destas. Já foi há 20 anos que passou aquele problema. Não fui no cólon, como se diz, mas eu também não de desmentir nada. Foi um problema perto da aorta".

Devido aos tratamentos de quimioterapia que iniciou há cerca de três semanas, o cantor admitiu que já começou a perder o cabelo.

"Se calhar agora vão voltar os caracóis. Normalmente quando temos o cabelo encaracolado [e depois cai] vem liso. Agora como as quimioterapias que tenho estado a fazer são um bocadinho fortes já senti que o meu cabelo estava a cair. O cabelo cair não dói, mas é desagradável. Sair do banho, ir ao espelho e pentear-me e ver que o meu cabelo está a cair. Já tenho uma boina preparada".

"Este problema obrigava a uma intervenção imediata. Tinha duas datas (21 e 28 de janeiro). Não fiz a operação nem os tratamentos em dezembro. Fui operado em janeiro no dia dos meus anos e os tratamentos comecei há cerca de 15 dias", acrescentou.

O afilhado Marco é um dos pilares do artista nesta fase de sáude mais delicada. O jovem estuda música no estrangeiro regressa esta semana a Portugal para uma ocasião muito especial.

"O meu afilhado chega este sábado, 28. Vamos começar os ensaios para o concerto no Porto este sábado. Mesmo que eu não tenha cabelo as minhas fãs vão compreender tudo isso. O tratamento não foi à voz. Preciso de alegria, força e muito barulho à minha volta, isso vai ajudar-me muito", apontou.

Com ânimo para subir a palco no Porto, Marco Paulo revelou, ainda, que devido às consequências dos tratamentos acordou com a equipa o adiamento do espetáculo em Paris, França: "Só houve um concerto que cancelámos mais por segurança. Em França não se brinca com concertos. Tinha um concerto marcado no dia 3 de maio no Olympia em Paris. Adiámos a data para outubro."

Um mês depois da intervenção cirurgica para a remoção do tumor, o artista explicou também o que mudou nas suas rotinas, mas sempre com o sorriso que o caracteriza.

"Quero ultrapassar o meu problema. [O cancro] estava num estado avançando. Fui a tempo de limpar tudo nas axilas e peito. Tenho uma cicatriz grande. Consigo ver-me ao espelho e fico muito triste. Quero levantar o braço e não consigo."

Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo