Maria Cerqueira Gomes quebra silêncio sobre a separação: "Foi duro"

Apresentadora da TVI assume que fez de tudo para salvar a relação com António Miguel Cardoso.
Maria Cerqueira Gomes, António Miguel Cardoso
Maria Cerqueira Gomes e António Miguel Cardoso
Maria Cerqueira Gomes
Maria Cerqueira Gomes, António Miguel Cardoso
Maria Cerqueira Gomes e António Miguel Cardoso
Maria Cerqueira Gomes
03 jun 2020 • 11:42
Maria Cerqueira Gomes quebrou o silêncio para falar da separação de António Miguel Cardoso, com quem tem um filho, João, de quase dois anos. A apresentadora da TVI admite que foi uma fase difícil, mas assume-se de consciência tranquila, uma vez que tentou fazer de tudo para que a relação resultasse, mesmo que à distância, já que tinha que passar a semana em Lisboa a apresentar o 'Você na TV' (TVI), enquanto que a família continuava no Porto.

"São projetos de vida falhados. Mas, no meu caso, dei tudo e não havia mais nada que pudesse fazer. 2019 foi um ano de investimento profissional para mim. E não podia dar margem para que o meu foco fosse outro, porque tinha uma grande responsabilidade entre mãos. Foi uma opção minha nunca falar da minha vida privada. A partir do momento em que o António [Miguel Cardoso] sentiu essa necessidade, só tenho que respeitar e confirmar que não estamos juntos. Já percebi que a única forma de eu ser feliz é ele estar tranquilo e feliz, porque temos um filho em comum", revelou em entrevista à 'Caras'.

A apresentadora de 36 anos contou também que apesar de difícil, se sente muito melhor agora. "Duro foi, mas também cresci e percebi muitas coisas. E acho que sou uma mulher tão mais espetacular hoje do que era há um ano e meio! Também trabalhei nesse sentido, mas tenho que apreciar e perceber em que ponto estou na minha vida. Nem sempre é fácil, mas sou muito mais serena hoje do que era. E isso era o que mais queria alcançar e o que me era mais difícil. Portanto, acho que estou melhor hoje".

Apesar de tudo, Maria continua a acreditar no amor, mas tem algumas exigências: "Tem de tem em conta os meus filhos na mesma medida que me tem a mim. Depois, tem de ter em conta o meu trabalho como me tem a mim e aos meus filhos".
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo