Maria Vieira esclarece fim da amizade com Ana Bola: "Foram coisas muito graves"

Atrizes estão de costas voltadas há cerca de dois anos.
Maria Vieira
Ana Bola
Maria Vieira
Ana Bola
02 jan 2020 • 14:45
Maria Vieira quebrou o silêncio em relação ao fim da amizade de várias décadas com Ana Bola.

"Houve atitudes muito incorretas, muito feias... Houve uma altura que tive de me justificar. Acho que [a guerra] não se resolve, não vou esquecer nunca. Foram coisas muito graves", lembrou Vieira em conversa com Manuel Luís Goucha e Maria Cerqueira Gomes no 'Você na TV'.

A humorista lembrou, ainda, uma situação "desagradável" que a antiga colega protagonizou no matutino da TVI.

"Não vou fazer o que esta pessoa fez comigo, foi para programas de televisão ofender-me. Até neste [Você na TV]. Num telefonema muito desagradável, desde execrável, fascista, nazi... Tudo me chamou."

Amargurada com esta briga, Maria Vieira recusou-se a continuar o tema: "Não quero falar sobre essa senhora..."

As duas atrizes, recorde-se, entraram em diferendo, há cerca de dois anos, após a atriz conhecida como "parrachita" tornar pública as suas intenções políticas e chegaram a trocar galhardetes.

Maria Vieira falou, ainda, sobre o afastamento do teatro, televisão e cinema.

"Pelo facto de me ter assumido uma mulher de direita e conservadora comecei a ser ostracizada, marginalizada. Comecei a perder trabalho. Há dois anos que não trabalho no meu País por conta de ter assumido as minhas posições políticas. Isso não é correto, não faz sentido. Só prova que vivemos numa ditadura de esquerda. Não é justo não estar a trabalhar."

"Comecei a ser ostracizada por pessoas que me conhecem e com quem trabalhei anos. Espalham boatos e mentiras sobre mim. É muito feio, não se faz. Continuo a ser a mesma", completou.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo