Morgan Freeman acusado de assédio por oito mulheres

Várias mulheres ouvidas pelo canal CNN falam de assédio no local de trabalho.
Morgan Freeman
Morgan Freeman
Foto: Getty Images
25 mai 2018 • 09:39
Miguel Azevedo
Aos 80 anos, Morgan Freeman está a ser acusado de assédio por parte de oito mulheres que terão trabalhado consigo nos últimos anos.

Entre as vítimas estão jornalistas, assistentes de produção e funcionárias da sua produtora. Os alegados assédios terão ocorrido todos eles em ambiente de trabalho ou perante várias testemunhas. O ator já reagiu às acusações e pediu desculpa.

"Qualquer pessoa que me conheça ou que tenha trabalhado comigo sabe que não sou uma pessoa que ofenda ou faça alguém sentir-se desconfortável de forma intencional. Peço desculpas a qualquer pessoa que se tenha sentido desconfortável ou desrespeitada, nunca foi minha intenção", escreveu Morgan Freeman numa declaração que tornou pública durante o dia de quinta-feira.

A verdade é que os relatos das vítimas são comprometedores e sórdidos. Das acusações constam, por exemplo, um comentário inadequado a uma repórter grávida da CNN ou a tentativa de levantar a saia a uma jovem assistente de produção no decorrer das gravações de ‘Ladrões Com Muito Estilo’, em 2015. Uma outra mulher que participou nas gravações de ‘Mestres da Ilusão’, em 2013, contou à investigação da CNN, canal que revelou o escândalo, que ela e outras vítimas foram alvo de assédio através de comentários inapropriados ao seus corpos: "Nós já sabíamos que perto dele não devíamos usar um top que evidenciasse o peito, nem qualquer coisa que realçasse o rabo". A investigação da CNN terá ouvido um total de 16 pessoas com quem Morgan Freeman trabalhou na última década.

Comentário indecoroso
Entre as vítimas de assédio de Morgan Freeman terá estado a jornalista da CNN Chloe Melas, que à data dos acontecimentos estava grávida e recebeu comentários indecorosos. "Quem me dera estar aí", disse o ator. Consta que a frase terá ficado gravada em vídeo.
Mais sobre
Newsletter
topo