Mulher de António Cordeiro defende-se após ser acusada de abandonar o marido: "Fiquei sem me conseguir mexer"

Helena esclareceu críticas por ter colocado o ator na Casa do Artista. O ator José Raposo decidiu defendê-la publicamente.
António Cordeiro e a mulher, Helena
importa
António Cordeiro e a mulher, Helena
importa
07 abr 2020 • 12:58
A mulher de António Cordeiro, Helena Almeida, esteve esta segunda-feira, dia 6 de abril, à conversa com Fátima Lopes durante o programa 'A Tarde é Sua', na TVI.

A companheira do ator reagiu a algumas críticas que tem vindo a receber desde que o ator de 60 anos, que sofre de uma doença degenerativa grave, foi internado na Casa do Artista aos cuidados do espaço.

Helena justificou que se viu obrigada a tomar essa decisão após um acidente que teve há alguns meses em casa, enquanto cuidava do artista.

"Fiquei sem me conseguir mexer", recordou Helena, que contou que o pior aconteceu quando tentou impedir o companheiro de cair ao chão. 

"O António estava naquela fase em que já precisava de mim para tomar banho, comer, tudo. Ia tomando medicação para acalmar as dores e cuidar dele", desabafou.

"Chorava de dores e desespero para que recebessem o António enquanto eu recuperava", confessou, admitindo ainda que a situação se tinha tornado insustentável, pois ainda cuidava igualmente dos sogros e da mãe.

Helena explicou à apresentadora da TVI que tomou conhecimento das críticas de que estava a ser alvo através de uma amiga, Filomena Cardinali, que a colocou a par de vários 'ataques' nas redes sociais, que condenavam a sua atitude de deixar o marido aos cuidados da instituição.

"Liguei-lhe: 'Filomena, o que se passa?' Ela diz: 'Há uma data de malucas, que mais valia estarem a limpar a casa, estão a dizer tu despachaste o António para a Casa do Artista, porque ele agora já não te serve para nada’. Eu disse: ‘A sério, Filomena?", contou.

Neste sentido, Helena garante que a ideia era ir buscá-lo novamente, mas que, devido ao surto de coronavírus, ficou impedida de o fazer.

Helena garantiu ainda que António Cordeiro, que já não conseguia andar nem falar, tinha consciência da situação que ambos viviam em casa e que o próprio afirmou que estava na altura de se separarem, por muito que ela não quisesse "abandonar o barco".

"Tenho muita pena de não ter o António comigo em casa. Sinto a falta dele", disse ainda Helena, sem esconder a emoção pelos momentos dolorosos que enfrentou com o ator, com quem está casada há 25 anos.

Depois do desabafo que fez publicamente, Helena contou com o apoio do ator José Raposo, que não resistiu a deixar uma mensagem nas redes sociais onde recorda o colega e amigo António Cordeiro e ainda defende a mulher do ator.

"Esta doença é incurável e degenerativa, provocando rigidez nos músculos, dificuldades na fala e demência, entre outras consequências. Eu fui acompanhando a evolução da doença, e sofri, como todos os amigos do António, ao assistir à incapacidade que se foi instalando nele de controlar os movimentos do corpo e da fala… exatamente as ferramentas essenciais do ator! É indescritível a crueldade desta doença, que transforma a pessoa num ser completamente dependente!", começou por escrever José Raposo, que não resistiu hesitou em deixar elogios a Helena.

"E aqui entra neste texto a Lena… é uma guerreira! A Lena dedicou-se de corpo e alma ao amor da sua vida, e eu mais os amigos próximos do casal somos testemunhas! Ela passou a ser os braços, as pernas, o corpo do António! Só assim poderia o António ficar em casa", apoiou o companheiro da atriz Sara Barradas.

"Com o agravar da situação, Lena viu-se obrigada a internar o marido na Casa do Artista, instituição de grande mérito como se sabe. E, meus senhores, não é que as mentes perversas das pessoas que só vêm às redes sociais destilar veneno sobre o que não conhecem, começaram a insinuar que a Lena tinha ‘despachado’ o António para a Casa do Artista porque agora ele já não lhe servia para nada?! Nem vale a pena comentar...", desabafou.

José Raposo termina o texto emocionado realçando que a história de António Cordeiro e Helena Almeida é uma história onde "o amor é sempre vencedor".

Ver esta publicação no Instagram

ANTÓNIO CORDEIRO e HELENA ALMEIDA - a história de um grande amor! Esta foto tirei-a no Barreiro em 18 de Fevereiro de 2019, num jantar anual de amigos barreirenses, que neste ano se fez em honra do Cordeiro. Como toda a gente sabe, este conhecido actor português, de quem sou grande amigo, contraiu uma doença rara - paralisia supranuclear progressiva - há cerca de 4 anos. Esta doença é incurável e degenerativa, provocando rigidez nos músculos, dificuldades na fala e demência, entre outras consequências. Eu fui acompanhando a evolução da doença, e sofri, como todos os amigos do António, ao assistir à incapacidade que se foi instalando nele de controlar os movimentos do corpo e da fala... exactamente as ferramentas essenciais do actor! É indescritível a crueldade desta doença, que transforma a pessoa num ser completamente dependente! E aqui entra neste texto a Lena... a Lena é uma guerreira! A Lena dedicou-se de corpo e alma ao amor da sua vida, e eu mais os amigos próximos do casal somos testemunhas! Ela passou a ser os braços, as pernas, o corpo do António! Só assim poderia o António ficar em casa, pois as 24 horas do dia eram passadas a ir (a Lena tirou a carta por isto) a fisioterapeutas, médicos, hospitais, e em casa todas as acções do dia-a-dia, sendo que para andar, ela tinha de conduzi-lo agarrando-o por trás! E mesmo assim o António caía algumas vezes por dia, pois o desequilíbrio é sintoma maior da doença, e ele pesava mais que ela, óbvio! Ora, recentemente, com o agravar da situação (o António já não andava nem falava), a Lena viu-se obrigada a internar o marido na Casa do Artista, instituição de grande mérito como se sabe. E, meus senhores, não é que as mentes perversas das pessoas que só vêm às redes sociais destilar veneno sobre o que não conhecem, começaram a insinuar que a Lena tinha "despachado" o António para a Casa do Artista porque agora ele já não lhe servia para nada?! Nem vale a pena comentar... o que eu queria aqui salientar é que esta história é mais uma das que provam que o amor é sempre vencedor, e nesta época de calamidade mundial, sem dúvida que o amor nos está a unir de forma natural... quase sem se dar por isso...! p.s.-fiquem em casa

Uma publicação partilhada por José Raposo (@joseraposoofficial) a




Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo