Mulher de Cavaco Silva operada a tumor no cérebro

Aos 82 anos, a antiga primeira-dama está a recuperar de uma cirurgia, realizada há duas semanas.
Ex-presidente da República e a esposa
Ex-presidente da República e a esposa
Foto: Mariline Alves
28 mai 2020 • 01:30
Rute Lourenço

A saúde de Maria Cavaco Silva, de 82 anos, tem inspirado cuidados nos últimos tempos. A antiga primeira-dama viveu, há duas semanas, momentos delicados ao ser submetida a uma cirurgia para remover um tumor no cérebro. A operação aconteceu em pela pandemia, no Hospital da Luz, em Lisboa, e segundo o CM apurou "correu de acordo com o previsto".

Após a cirurgia, Maria Cavaco Silva permaneceu uns dias internada, mas neste momento já se encontra a recuperar em casa, com o apoio do marido, Aníbal Cavaco Silva, de 80 anos.

O CM contactou o gabinete que gere a assessoria do antigo Presidente da República, que apenas garantiu que Maria Cavaco Silva está em franca recuperação. "É um assunto pessoal, e o Gabinete não interfere neste tipo de questões, mas podemos dizer que sim, é verdade [que foi operada a um tumor cerebral], e que está a recuperar e bem", referiu Ademar Marques, responsável pela gestão de assuntos relacionados com Aníbal Cavaco Silva.

Momentos de angústia
O estado de saúde da mulher tem provocado momentos de verdadeira angústia a Cavaco Silva, que esteve sempre ao lado da companheira nestes dias difíceis. O antigo político ficou muito abalado com a situação, que gerou grande preocupação em toda a família.

A recuperar em casa, a 19ª primeira-dama portuguesa tem, no entanto, pela frente alguns passos após a cirurgia. Nos próximos tempos, Maria Cavaco Silva terá de ser sujeita a vários exames para perceber se tudo está a correr de acordo com o previsto. Segundo foi possível apurar, a mulher do antigo Presidente da República mantém-se otimista e com força para enfrentar esta delicada batalha.

Desmaia em discurso
A saúde de Aníbal Cavaco Silva também tem pregado alguns sustos. O episódio mais mediático aconteceu durante os discursos do 10 de Junho, em 2014, quando o então Presidente da República desmaiou e teve de ser retirado do palanque. Voltou depois, mais recomposto, mas o momento gerou preocupação e obrigou-o a exames de rotina.

Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo