Mulher de Passos Coelho enfrenta o quarto cancro

Doença volta a alastrar ao pulmão e Laura Ferreira está a fazer novos tratamentos. Marido é o grande apoio.
Laura Ferreira com Pedro Passos Coelho em 2016
Laura Ferreira com Pedro Passos Coelho em 2016
Foto: João Miguel Rodrigues
22 nov 2018 • 01:30
Rute Lourenço
Há cerca de quatro anos que Laura Ferreira enfrenta o drama do cancro e as últimas notícias não foram as mais animadoras. A mulher de Pedro Passos Coelho ficou a saber que a doença tinha alastrado novamente ao pulmão. De acordo com a revista ‘Nova Gente’, os médicos não optaram, no entanto, pela cirurgia, encontrando-se a fisioterapeuta a fazer tratamentos à base de ácido dicloroacético.

Nesta fase difícil, o ex-líder do PSD tem sido o principal apoio de Laura, à semelhança do que acontece desde 2014, quando lhe foi detetado um tumor ósseo maligno muito agressivo num joelho. A fisioterapeuta foi operada, tendo colocado uma prótese, e submeteu-se a sessões de quimioterapia, mas quando se julgava que a doença estava ultrapassada, um exame de rotina revelou, há um ano e meio, células malignas no pulmão.

Além disso, foi ainda descoberto um tumor na anca à fisioterapeuta, de 53 anos. Agora, Laura enfrenta o quarto cancro, numa luta longa e dolorosa. "Tenho muito medo de morrer, mas depois há um lado que se levanta e diz: ‘Não, tens o teu marido, tens as tuas filhas e a tua família!’ Eu tenho de viver, tenho tanta coisa para fazer", escreveu na biografia de Pedro Passos Coelho, publicada em 2015.

Filhas são a sua força
As filhas Teresa, de 23 anos (na foto), e Júlia, de 11 [em comum com Pedro Passos Coelho] são a grande força de Laura Ferreira, que já fez saber encontrar nas descendentes a coragem necessária para enfrentar a doença. No entanto, ao longo destes quatro anos de luta, cedeu por várias vezes à depressão.

Assume batalha
Foi durante uma viagem a Cabo Verde com Passos Coelho, então primeiro ministro, que Laura surgiu pela primeira vez sem cabelo, tornando pública a sua luta contra o cancro. Desde então, o ex-líder do PSD manteve-se sempre a seu lado. "O Pedro tranquiliza-me e dá-me força", afirmou Laura.




Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo