Negócio de Rita Pereira falha e atriz deixa empresa

Apresentadora tinha aberto rede de tapiocarias em Portugal.
Rita Pereira
Rita Pereira
15 nov 2019 • 11:58
André Filipe Oliveira
Dedicada ao filho, Lonô, de quase um ano, e à carreira em televisão, Rita Pereira decidiu abandonar a gestão das tapiocarias Beiju. A decisão foi tomada no início do verão e concretizada em julho passado, com a estrela da TVI a vender a sua quota da empresa ao brasileiro Rodrigo Saldanha, um dos sócios.

Segundo a ‘Vidas’ conseguiu apurar, Rita decidiu colocar um ponto final na parceria por "falta de tempo". O negócio viu a luz do dia no final de 2016 com a inauguração de um restaurante no Centro Comercial Amoreiras. Este era um dos maiores projetos da atriz: "Quando abri a primeira loja, as pessoas achavam que era uma brincadeira ou mais uma marca pela qual estava a dar a cara. Mas quando começaram a ver este negócio a crescer, perceberam que é um projeto no qual aposto tudo. Quero ser uma empresária de sucesso. Não faço nada a meio-gás, gosto de desafios duradouros."

A gestão do negócio estava à responsabilidade de Rodrigo Saldanha, Celeste Ribeiro e Rita Pereira. "O Rodrigo adquiriu a sociedade total da empresa. Não houve nenhum problema. Comprou a nossa parte. A Rita decidiu vender a sua", explicou Pedro Ribeiro, companheiro de Celeste Ribeiro, uma das gerentes da Beiju.

A febre das tapiocas foi tal que a Beiju estendeu-se por Oeiras, Cascais e Porto. No entanto, Rita e os restantes investidores decidiram encerrar quatro restaurantes. "Ofereceram-nos uma quantia elevada para ficar com os espaços onde estavam as lojas", justificou a atriz, no final de 2017.

A notícia obtida em primeira mão pela Vidas foi agora confirmada por Rita Pereira através de um comunicado. "Não foi uma decisão tomada de ânimo leve, mas sim consciente".
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo