Passos Coelho dá assistência aos sogros

Antigo primeiro-ministro assume-se cuidador dos pais de Laura Ferreira.
Pedro Passos Coelho
Teresa Rosa nas cerimónias fúnebres da mulher do irmão Passos Coelho visivelmente abatida, ao lado da filha
Pedro Passos Coelho surgiu com foto em homenagem à mulher Laura
Pedro Passos Coelho
Teresa Rosa nas cerimónias fúnebres da mulher do irmão Passos Coelho visivelmente abatida, ao lado da filha
Pedro Passos Coelho surgiu com foto em homenagem à mulher Laura
12 jun 2020 • 01:30
Rute Lourenço
Mais de três meses após a morte da mulher, Laura Ferreira, aos 54 anos, após uma longa e dolorosa batalha contra o cancro ósseo, Pedro Passos Coelho continua a manter uma forte ligação à família da companheira. Durante o confinamento imposto na quarentena, o antigo primeiro-ministro assumiu mesmo uma posição essencial na vida dos sogros, com quem almoçava frequentemente e visitava diariamente, com a filha mais nova, Júlia, de 13 anos – fruto da relação com Laura – para assegurar que nada faltava aos septuagenários.

Pedro Passos Coelho assumiu-se como cuidador dos sogros, Domitília Garcês e Tomás Ferreira, com quem sempre manteve uma ligação de grande cumplicidade.

Os familiares apoiam-se agora num momento de grande dor, em que tentam lidar com a perda de Laura, grande pilar nas suas vidas.
Para além do apoio aos sogros, o período de pandemia foi marcado por um grande recato por parte de Pedro Passos Coelho que, de acordo com a revista ‘Nova Gente’, manteve-se quase sempre em casa, respeitando as medidas de segurança, e prestando o apoio necessário à filha.

Assumindo-se como o responsável por todo o clã, o ex-primeiro-ministro português divide atenções para que nada falte à família da mulher, bem como às filhas [é ainda pai de Catarina e Joana, fruto da antiga relação com Fátima Padinha, conhecida pela banda Doce].

Recorde-se que a vida de Passos Coelho não tem sido fácil. Também a irmã mais velha, Maria Teresa, de 63 anos, também está a lutar contra um cancro, e o irmão foi recentemente internado.

Batalha de laura durou cinco anos
Laura Ferreira travou durante cinco anos uma luta contra um tumor ósseo agressivo e nunca baixou os braços, mantendo sempre o sorriso e postura otimista. Durante esse tempo, submeteu-se a vários tratamentos, mas a doença acabaria por alastrar aos pulmões. No último ano, estava já muito debilitada.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo