Perfume íntimo de Anitta dá que falar

Segundo médicos, não é uma boa ideia borrifar substâncias numa região tão sensível.
Anitta
Anitta
Foto: DR/Instagram
14 ago 2022 • 01:30
Vanessa Fidalgo
Assim que a cantora Anitta anunciou nas redes sociais o lançamento de um perfume íntimo, ‘Puzzy’, que pode ser usado na vagina, ânus e pénis, a polémica estoirou.

Uns ficaram em êxtase com o novo ‘brinquedo’ sexual, outros correram para as compras, mas os críticos também entraram em ação. Pode parecer muito sensual usar uma fragrância na região íntima para atrair um parceiro sexual ou apimentar a relação, mas, segundo médicos, não é uma boa ideia borrifar substâncias numa região tão sensível, principalmente a vagina, porque pode alterar o PH da mucosa interna e provocar alergias.

Nada que abale a fé e confiança de Anitta que, no Twitter, não se cansa de apregoar o produto: “É para quem quer ter a ‘pepeka de milhões’”, brincou a artista brasileira. “Agora vocês vão poder sentir de perto porque que todo Mundo corre atrás da minha ‘larissinha’”, escreveu.

E também respondeu aos médicos: “O produto é dermatologicamente testado e ginecologicamente também. Tem aprovação, tem tudo”, afirmou. Ou seja, mais uma obra de Anitta com tudo para correr bem.
Mais sobre
Newsletter
topo