Princesa Beatrice teme ser rejeitada por Carlos após polémicas do pai

As filhas do príncipe André estão a ser afetadas pelo escândalo sexual em torno do pai e estão com medo de, no futuro, perder os benefícios reais.
Princesa Beatrice
Princesa Beatrice e o príncipe Carlos
Princesa Beatrice e o pai, Príncipe André
Princesa Beatrice e Edoardo Mapelli Mozzi
Princesa Beatrice e Edoardo Mapelli Mozzi
Princesa Beatrice
Princesa Beatrice e o príncipe Carlos
Princesa Beatrice e o pai, Príncipe André
Princesa Beatrice e Edoardo Mapelli Mozzi
Princesa Beatrice e Edoardo Mapelli Mozzi
02 ago 2020 • 14:58
Rute Lourenço
As filhas do príncipe André estão em sofrimento com os escândalos em torno do pai, ligado ao magnata Jeffrey Epstein, envolvido em crimes de natureza sexual.

As princesas Beatrice e Eugenie temem futuras represálias devido ao comportamento do pai, nomeadamente a possibilidade de perderem os benefícios adjacentes a pertencerem à família real.

E se com a rainha de Inglaterra, mãe do príncipe André, as conversações têm corrido bem, com o príncipe Carlos, herdeiro ao trono, as negociações têm sido mais difíceis.

"O príncipe Carlos considera este escândalo muito nocivo para a imagem da coroa e acaba por ser extensível às filhas do André. Claro que elas não têm culpa, mas acabam por pagar pelos erros do pai", revela uma fonte, acrescentando que Beatrice e Eugenie de tudo têm feito para agradar ao tio e mostrar que podem dar um contributo importante à realeza.

"Elas não querem ser prejudicadas, acham injusto, mas a verdade é que a forma como os britânicos olham para toda a família, por causa do príncipe André, mudou. E a casa real quer fugir a sete pés de polémicas. Nos últimos tempos, aconteceram muitas coisas, nomeadamente desde que o príncipe Harry e a Meghan decidiram afastar-se da realeza. Agora é necessária alguma estabilidade".

Escândalo sexual
Recorde-se que o príncipe André tem sido ligado aos crimes sexuais de Jeffrey Epstein e mais recentemente a outro escândalo sexual com ligações ao magnata da moda Peter Nygard, de 78 anos, acusado de drogar e de violar 10 mulheres, seis das quais teriam entre os 14 e os 15 anos. As ligações estão a preocupar a rainha.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo