Rei Juan Carlos com a amante em casa

Em período de quarentena, a imprensa espanhola diz que o pai de Felipe VI tem recebido visitas especiais.
Juan Carlos e Marta Gayá
Juan Carlos Espanha
Juan Carlos e Marta Gayá
Juan Carlos Espanha
17 mai 2020 • 13:50
Rute Lourenço
O rei emérito Juan Carlos tem passado os últimos dois meses a cumprir o período de quarentena, mas não propriamente de isolamento social. É que, de acordo com a imprensa espanhola, o pai de Felipe VI tem aproveitado estes dias para matar saudades de uma amiga muito especial, a sua antiga amante Marta Gayá.

"Ele tem recebido em casa um grupo muito restrito de pessoas, de entre as quais se encontra Marta", explica Jaime Peñafiel, especializado em assuntos da coroa espanhola.

De acordo com o jornalista, foi este período complicado que vivemos, devido à pandemia, que acabou por aproximar Juan Carlos e Marta, que estavam afastados há vários anos e começaram a falar através de videochamada para saber da saúde um do outro. As conversas telefónicas rapidamente deram lugar a encontros secretos, que agora são tornado públicos.

Paixão dura sete anos
Marta Gayá é apenas uma das muitas mulheres que Juan Carlos terá tido durante o casamento com a rainha Sofia. Com fama de galã e de marido infiel, o rei emérito somou conquistas e polémicas, que agora Felipe VI tenta afastar da casa real espanhola a todo o custo, de forma a proteger a imagem da coroa, que tem sido manchada por vários escândalos.

"O romance entre Juan Carlos e Marta durou cerca de seis ou sete anos. Nesse tempo, mantiveram encontros apaixonados e regulares", diz uma fonte.

Polémicas que o atual rei não perdoa e que contribuem para a relação cada vez mais distante que Felipe VI mantém com o pai.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo