Ronaldo expulso de instituição de apoio a crianças após partir telemóvel a fã

Associação afirma que a atitude de CR7 não combina com os valores pelos quais luta e condena gesto do craque.
Cristiano Ronaldo
Cristiano Ronaldo
Foto: Reuters
13 abr 2022 • 01:30
Carolina Cunha
Depois do incidente, no passado sábado, em que Cristiano Ronaldo destruiu o telemóvel de um jovem adepto do Everton, a fundação Save the Children decidiu afastar o internacional português do cargo de embaixador. A informação foi avançada pelo jornal britânico ‘The Sun’, que dá conta de que a atitude de Ronaldo não combina com os valores desta instituição, que trabalha em prol do "bem-estar, segurança e saúde dos mais novos". A associação solidária condena o ataque de fúria do futebolista do Manchester United, que afetou gravemente Jake, o jovem de 14 anos, autista, que estava a gravar o regresso aos balneários da equipa.

A mãe do jovem mostrou-se revoltava com toda a situação e a falta de empatia do jogador. "Ele é pai, e estou certa de que, se fosse uma pessoa normal, que levasse o filho a um jogo de sábado à tarde, e isso acontecesse, ele também ficaria bastante incomodado e chocado", afirmou à imprensa inglesa.

Na sequência da polémica, Cristiano Ronaldo, de 37 anos, pediu desculpas ao jovem e convidou-o para assistir a um jogo do Manchester United. Porém, o convite já foi recusado pela família do adepto.

Katia e Elma em defesa de CR7
A irmã Elma veio a público defender Ronaldo. "Tanto gostam e tanto deixam de gostar. Por isso é que vivemos com isto tudo, guerras, mortes, desumanos… e, acima de tudo, [tão] tristes com as suas vidas que têm de falar da dos outros. Tu, mano querido, não tens de mostrar nada a ninguém", escreveu a empresária madeirense numa publicação nas redes sociais. Por sua vez, Katia Aveiro, a irmã mais nova, que vive atualmente no Brasil, optou por publicar um vídeo com a compilação de vários gestos de solidariedade que CR7 teve ao longo da sua carreira, em forma de resposta às críticas.
Mais sobre
Newsletter
topo