Sara Carbonero faz tratamentos em Madrid

Em 20 dias, Casillas e Sara Carbonero passaram da felicidade ao pesadelo. Depois do enfarte do craque, ela luta contra o cancro.
Sara Carbonero
Sara Carbonero, Iker Casillas
Sara Carbonero
Sara Carbonero, Iker Casillas
23 mai 2019 • 01:30
André Filipe Oliveira
Em apenas 20 dias, a vida de Sara Carbonero e Iker Casillas deixou de ser a cor-de-rosa, de ‘casal perfeito’ que aparece nas revistas, para a de uma família que vive um pesadelo.

Com o guarda-redes ainda sem saber o que o futuro lhe reserva, depois de ter sofrido um enfarte do miocárdio, a mulher, de 35 anos, recebeu o duro diagnóstico: foi-lhe detetado um cancro nos ovários.

Na última terça-feira, foi a própria a revelar que foi operada com sucesso na Clínica Internacional Ruber, em Madrid, Espanha, curiosamente a mesma onde nasceram os dois filhos, Martín, de cinco anos, e Lucas, de dois.

Após a cirurgia de remoção do tumor maligno, Sara continua internada naquela unidade de saúde e, segundo comunicado, "deverá ter alta nos próximos dias, exceto se houver complicações".

De lá, não têm arredado pé os pais da jornalista espanhola, a irmã e, claro, Iker Casillas. Estes são os seus apoios na difícil batalha de tratamentos que terá pela frente. Nesta fase, estão a ser estudadas várias possibilidades de tratamento pela equipa médica, sendo a quimioterapia a mais comum para tratar a doença.

De acordo com a ginecologista oncológica Ana Maria Coelho, Sara, que detetou o tumor num exame de rotina, estará num estádio pouco avançado do cancro, o que aumenta as hipóteses de cura.

"O cancro nos ovários não dá uma sintomatologia precoce. O diagnóstico é, muitas vezes, tardio porque só se manifesta em casos de dor pélvica, irregularidades na menstruação ou aumento do volume abdominal e estas situações só se revelam numa fase avançada da doença. O testemunho da Sara indica que pode estar no estádio I ou II".

Esta não é a primeira vez que Sara vive um susto com a saúde. Em outubro passado, a mulher de Casillas revelou que lhe havia sido diagnosticado um tumor benigno na mama e que foi sujeita a uma cirurgia. Agora, seis meses depois enfrenta uma nova e mais difícil batalha contra o cancro, palavra que, assume, ainda não consegue dizer.

Equipa médica emite comunicado
A Clínica Internacional Ruber, em Madrid, onde Sara Carbonero foi submetida a operação de remoção de tumor no ovário emitiu um comunicado a informar que a jornalista pode "ter alta nos próximos dias".

"Não foi um grande aniversário"
Iker Casillas celebrou 38 anos um dia antes de Sara ser operada. O craque partilhou um texto emotivo a detalhar os últimos acontecimentos. "Não foi um grande aniversário. Ainda assim, fiz pose e mostrei-me alegre. Tenho de estar feliz pelos 20 dias que passaram", escreveu.

"Fertilidade pode ter sido preservada"
Aos 35 anos, Sara Carbonero atravessa um dos momentos mais frágeis da sua saúde. A luta contra o cancro nos ovários pode implicar o fim do sonho da maternidade, devido ao tratamento contra a doença, conforme revela ao CM a oncologista Ana Maria Coelho.

"Se a equipa médica recorreu à cirurgia radical, Sara foi também sujeita à remoção dos ovários, útero e a membrana perineal. Se optou por outra possibilidade de tratamento, há a hipótese de poder voltar a engravidar. A idade da Sara pode ter aberto caminho a várias possibilidades de tratamento. Pode ter sido ponderada a preservação da fertilidade e isso não implica a não realização de quimioterapia, mas tudo vai depender do estado do tumor", explica a profissional.

A mulher de Iker Casillas é mãe de dois rapazes, Martín, de cinco anos, e Lucas, que completa três anos em junho, mas já tinha revelado várias vezes que gostava de ser mãe novamente ou recorrer à adoção.

Discurso Direto
Ana M. Coelho - Ginecologista oncológica
"Sintomas aparecem tarde"
Quais os sinais que podem indicar a existência de tumor nos ovários?
O cancro nos ovários tem por vezes um diagnóstico tardio, o que significa que o tumor pode estar em estádios avançados. A existência de dor na zona pélvica, irregularidades na menstruação e aumento do volume abdominal podem indicar que algo não está bem.
– Quais são os tratamentos mais comuns contra o cancro nos ovários?
O mais comum, nestes casos, é mesmo a quimioterapia, mas depende do Estádio da doença. Segundo depreendo das palavras da Sara, o tumor deverá estar ainda numa fase inicial, pelo facto de este ter sido detetado em exames de rotina.

PORMENORES
Fases da doença
No Estádio I o tumor está confinado a um ovário ou aos dois; Estádio II é quando o cancro está em ambos os ovários, com extensão ao útero e trompas; No estádio III estende-se à cavidade peritoneal; No Estádio IV existem metástases noutros órgãos.

Sinais de alarme
O cancro nos ovários não apresenta grandes sintomas numa fase inicial da doença. Os mais comuns aparecem tardiamente e incluem irregularidade na menstruação, aumento do volume abdominal e dor pélvica localizada.

Exames de rotina
Os tumores podem ser detetados em fase inicial através de exames de rotina. Se houver casos de cancro no seio familiar, então os exames devem ser feitos com uma maior periodicidade, de seis em seis meses. Caso contrário, anualmente.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo