"Sempre quis adotar", confessa Georgina Rodríguez

Namorada de CR7 revela sonho de aumentar a família e diz que assumir o papel de mãe de quatro crianças não é um peso.
Foto: Direitos Reservados
31 mar 2018 • 01:30
Rute Lourenço
Há um ano e meio ao lado de Cristiano Ronaldo, Georgina Rodríguez converteu-se num fenómeno de popularidade e, para se dar a conhecer melhor aos fãs, concedeu uma entrevista à revista ‘XL Semanal’. A espanhola, de 24 anos, recorda como foi duro ser "perseguida pelos paparazzi" quando ainda trabalhava por detrás de um balcão da Gucci, mas assume que a sua vida "mudou para melhor" desde que foi viver com CR7. "Sou uma mulher madura e, para mim, ter quatro filhos não é um peso. Levo tudo muito bem e, aliás, não imagino a minha vida sem os meus filhos", diz, referindo-se a Alana, de quatro meses, e aos gémeos Eva e Mateo, de nove meses, e a Cristianinho, de sete anos, frutos de barriga de aluguer.

Feliz com a família, Gio não fala sobre a possibilidade de ter mais filhos biológicos com Ronaldo, mas deixa no ar a hipótese de adoção. "Gosto de utilizar a minha popularidade para ajudar quem mais precisa e sempre quis adotar, desde muito nova", admite.

De fora da entrevista ficou o pai, sobre o qual Georgina Rodríguez preferiu não falar. Quando questionada sobre o que este fazia, a modelo irritou- -se. "Não quero que esta entrevista seja tão intensa", limitou-se a responder.

Gio diz que era "muito boa" nas vendas
Quando conheceu CR7, Gio vendia roupa e afirma que tinha talento. "Era muito boa naquilo que fazia", refere, acrescentando que já em relação à carreira de modelo teve dúvidas. "Só depois de me dizerem muitas vezes que era bonita e que tinha um bom corpo é que acreditei".

Mais sobre
Newsletter
topo