Tânia Ribas de Oliveira pede desculpa por entrevista a neonazi

A apresentadora esteve à conversa com o condenado pela morte de Alcindo Monteiro no programa 'A Nossa Tarde'.
Tânia Ribas de Oliveira
Tânia Ribas de Oliveira
Foto: Instagram
06 nov 2019 • 16:09
O programa de Tânia Ribas de Oliveira, 'A Nossa Tarde', na RTP, emitiu uma entrevista a Nuno Cláudio Cerejeira, no passado dia 24 de outubro que causou polémica. Tudo porque esse mesmo homem é um neonazi condenado pela morte de Alcindo Monteiro, português cabo-verdiano assassinado em 1995 em Lisboa.

A entrevista causou grande revolta manifestada pelos espectadores e também várias críticas de associações como A SOS Racismo. Depois do canal lamentar a situação e garantir que não tinha conhecimento dessas informações, foi a vez da apresentadora do formato deixar a sua mensagem publicamente, que contou com o apoio de figuras públicas como Rita Ferro Rodrigues ou Vanessa Oliveira, que reagiram na caixa de comentários da publicação. 

Nas redes sociais, Tânia Ribas de Oliveira assumiu o erro e pediu desculpa pelo sucedido. "Sinto que devo, também, em nome pessoal, pedir desculpa pelo nosso erro enquanto equipa", começa por dizer o rosto da RTP. "Assumimos a nossa ingenuidade e até a nossa ignorância. Assumimos a nossa responsabilidade, a nossa tristeza e pedimos desculpa", afirmou, ao mesmo tempo que garantiu defender ideais apenas como "a igualdade, a tolerância e o amor".

Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por Tânia Ribas de Oliveira (@taniaribas) a

Recorde-se que o entrevistado nesta situação, Nuno Cláudio Cerejeira, foi convidado do programa da tarde da RTP com o intuito de falar sobre ser pai de trigémeos. Ao CM, a RTP esclareceu que "a história do casal Cláudia e Cláudio", que "depois de vários anos a tentarem ser pais, conseguiram, sem qualquer tratamento, ter trigémeos", foi "sugerida pela Fundação Ronald McDonald, da qual Tânia Ribas de Oliveira é embaixadora"

A RTP acrescenta que "a coordenação do programa não teve conhecimento dos antecedentes criminais do pai, nem tão pouco das convicções políticas". "Nunca o teríamos recebido [nos estúdios da RTP] se soubéssemos. Lamentamos muito o sucedido e pedimos desculpa a todos os que se tenham sentido ofendidos"

Já a Fundação Ronald MCDonald esclareceu que "a participação desta família" no programa "teve exclusivamente como objetivo reforçar a importância da proximidade da família junto de filhos doentes" e que "a informação sobre a vida das famílias não é do conhecimento da Fundação".
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo