Testemunhas de Bárbara faltam a julgamento

Amigos da estrela da SIC voltam a não ser ouvidos em tribunal.
Bárbara Guimarães
Bárbara Guimarães
Foto: Inês Gomes Lourenço / Correio da Manhã
05 set 2017 • 01:30
Rute Lourenço
Retomou-se esta segunda-feira o processo em que Bárbara Guimarães acusa o ex-marido, Manuel Maria Carrilho, de violência doméstica, mas a sessão ficou marcada pela ausência de algumas testemunhas de defesa da apresentadora que, à semelhança do que já tinha acontecido no passado, voltaram a não marcar presença em tribunal.

Joana Lemos, uma das melhores amigas de Bárbara, e o pedopsiquiatra Pedro Stretch eram esperados no Campus da Justiça, em Lisboa, mas tal não aconteceu, sendo que a ausência do médico não tinha sido justificada até à data.

Esta não é a primeira vez que testemunhas de Bárbara faltam ao processo de violência doméstica, numa atitude que, apurou o CM, provocou alguma mágoa à apresentadora. "Numa das fases mais difíceis da sua vida, a Bárbara já viu com quem pode contar e com quem não pode contar. Tem sido importante para ela ter a certeza de quem são os seus verdadeiros amigos", diz ao CM uma fonte.

Esta terça-feira são as alegações finais de outro processo, também de violência doméstica, que remonta a 2014, quando o ex-ministro terá forçado a entrada na casa de Bárbara e do ex-namorado, Kiki Neves.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo