"Vou falar com o meu irmão": Príncipe William reage a entrevista explosiva de Meghan Markle

Duque de Cambridge negou as acusações de racismo na família.
Kate Middleton e William mantêm-se unidos após polémica
Harry e Meghan estão a viver na Califórnia
Kate Middleton e William mantêm-se unidos após polémica
Harry e Meghan estão a viver na Califórnia
12 mar 2021 • 01:30
Rute Lourenço
Acompanhado pela mulher, Kate Middleton, o príncipe William regressou esta quinta-feira aos atos oficiais após a polémica entrevista do irmão e Meghan Markle a Oprah Winfrey. Descontraído ao visitar uma escola de Londres, que acabou de reabrir após o alívio das medidas de restrição no Reino Unido, revelou que não teme polémicas. Confrontado por um jornalista da Sky News sobre se a família real era racista, apressou-se a negá-lo. "Não, a nossa família não é mesmo nada racista", reagiu. Questionado sobre se já tinha falado com o irmão Harry depois de toda a polémica, o príncipe negou. "Ainda não, mas vou falar com ele", prometeu.

Após o comunicado da rainha Isabel II, em que lamentou saber o sofrimento por que Meghan e Harry passaram nos últimos anos, esta foi a primeira reação oficial de um membro da família real às palavras de Meghan, que acusou o clã do marido de bullying, falta de empatia com o seu estado depressivo e ainda racismo, ao ter questionado Harry sobre quão escuro poderia nascer Archie. As declarações bombásticas foram replicadas em todo o Mundo.

Rainha quer aproximação
A rainha Isabel II não está nada satisfeita com o clima de tensão que se instalou na família real. A monarca, que não foi visada pelas palavras do neto e de Meghan, e que até mereceu elogios, quer voltar a unir o clã e, de acordo com o jornal ‘Daily Mail’, vai falar com Harry, telefonicamente, nos próximos dias para começar as "negociações de paz". De acordo com a publicação, Isabel II quer sensibilizar o neto para a importância de fazer as pazes com o pai, o príncipe Carlos, e o irmão William, que foram ‘atacados’ na entrevista. Sobre o progenitor, Harry confessou a sua falta de apoio e disse que Carlos lhe deixou de atender o telefone quando manifestou a sua vontade de abandonar a família real, limitando-se a dizer: "põe isso por escrito". Já do irmão assumiu estar muito afastado.

Este clima de guerra está a afetar a rainha, de 94 anos, que pretende, com a sua experiência, consertar, de alguma forma, o mal que foi feito. Além de Harry, Isabel II também já terá falado com o filho e o príncipe William para os chamar à atenção para a importância de uma reconciliação, de forma a não se colocar em causa o futuro da realeza.

Com o apoio da sua equipa
Depois de ter apresentado a demissão, na sequência das mais de 40 mil queixas geradas pelos seus comentários à entrevista de Meghan Markle, que acusou de mentir, Piers Morgan conta com o apoio da equipa do seu programa ‘Good Morning Britain’, da ITV, que lhe dedicou a vitória nas audiências. Entretanto, também o Reino Unido mostra a sua solidariedade com o apresentador, com os telespectadores a pedirem o seu regresso.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo