As mulheres que precisamos

No próximo dia 8 de março, um pouco por toda a parte, acontecem manifestações que assinalam o Dia Internacional da Mulher e a crescente intervenção do "modo feminino" em todos os setores da sociedade e, felizmente, a ciência e a tecnologia não são quadro de exceção.
03 mar 2016 • 15:22
Reginaldo Rodrigues de Almeida

Aproxima-se a passos largos mais um assinalar do Dia Internacional da Mulher. Ainda que não seja uma data particularmente enfatizada pelo autor desta crónica, não por qualquer preconceito ou atavismo, simplesmente porque o mérito não tem que ser imposto por decreto ou datas alusivas. Todavia, apesar da comunidade de investigação portuguesa estar praticamente representada por metade de mulheres, compreende-se, tantos foram os constrangimentos do passado que se reconhece o caminho ainda a percorrer. Assim, no próximo dia 8 de março, um pouco por toda a parte, acontecem manifestações que assinalam essa data e a crescente intervenção do "modo feminino" em todos os setores da sociedade e, felizmente, também como já referido, a ciência e a tecnologia não são quadro de exceção. Por isso, mais do que tudo, é certo que esta data deve ser entendida como uma homenagem às mulheres cientistas mas também muito às mulheres em geral pois têm contribuído ativamente para o progresso e paz social verificados quer em Portugal, quer no mundo, independentemente de maior ou menor recessão económica. Porque a verdadeira modernidade social é uma espécie de escada rolante que deve continuar a ser subida nem nunca se atingir o topo, antes passar o testemunho para as gerações vindouras, aqui ficam as maiores felicitações a todas as mulheres que se revêem nesta crónica, convictas que as suas motivações contribuem para as mais jovens acreditarem que devem investir diariamente na construção de um mundo melhor.

Mais sobre
Newsletter
topo