O estúpido do telefone…

Preparamo-nos para poder ressuscitar equipamentos bem diferentes da moda atual, onde a ligação à internet e a milhões de pessoas virtuais deixa de ser uma prioridade.
04 nov 2016 • 11:01
Reginaldo Rodrigues de Almeida

Os telemóveis são uma espécie de 3.ª mão, já não conseguimos viver sem a sua permanente presença e estranho parece alguém que alguém que conhecemos não tenha telemóvel por simples opção… Ficar sem bateria é também uma verdadeira angústia até porque nos dias de hoje, estes dispositivos servem para tudo ao ponto da função de comunicarem por voz,  distância, ser cada vez mais "residual", tantas são as app´s, as redes sociais, aplicativos e toda a internet em geral. O desenvolvimento é de tal ordem que várias são as vozes que já se levantam contra esta forma de dependência (e olhem que estar refém da tecnologia é uma patologia bem mais grave do que ao início possa parecer) que se formulam teses de um certo "retrocesso tecnológico", abandonando-se assim o conceito de smartphone por benefício e troca de um dumb phone, ou melhor escrevendo: um telefone estúpido, (sim, leu bem)! Preparamo-nos assim para poder ressuscitar equipamentos bem diferentes da moda atual, onde a ligação à internet e a milhões de pessoas virtuais deixa de ser uma prioridade, onde as funções não serão mais do que simplesmente falar e enviar mensagens de texto. Não só poderá ser bem mais saudável como também se podem evitar situações de risco, em particular com os adolescentes que passam a ter um dado pelos pais mas que afinal só querem saber do seu paradeiro, evitando-se assim a navegação por mares digitais bem perigosos e situações dramáticas a evitar.

Não tenham dúvidas que a sinistralidade rodoviária seria muito menor e a atenção com quem nos rodeia bem maior.

Mais sobre
Newsletter
topo