Sem pressa de ir rumo ao hexa

Convencida de que é exemplo para mulheres contemporâneas e mais novas, revela os seus segredos
21 abr 2018 • 01:30
Leonardo Ralha
Enquanto meras mortais sentem borboletas no estômago, Cláudia Jacques tem lepidópteros tatuados nas costas. E todos ficaram a sabê-lo graças à produção fotográfica que fez sem excesso de cobertura, levando a ‘Lux’ a constatar que, "com um corpo escultural e uma sensualidade à flor da pele, a relações públicas, de 53 anos, está na sua plena forma, cheia de confiança e grata à vida que tem". 

Sem pudor de assumir-se como exemplo para mulheres da sua geração, "mas também para gerações mais novas", Cláudia garante que "é frequente perguntarem-me o que faço para me manter assim", revelando hábitos saudáveis como "caminhadas de dez ou mais quilómetros ao ar livre", "suplementos alimentares que considero muito importantes", "tratamentos de beleza e estética" e "cuidados com a alimentação", fugindo de enchidos, refrigerantes e molhos enquanto privilegia carnes brancas.

Fora da ementa está uma nova relação amorosa, mantendo-se solteira há ano e meio, o que admite ser recorde pessoal. "Hoje, olhando para trás, acho que ter tido cinco maridos foi maravilhoso", diz quem, talvez pela condição de portuense, não tem pressa nenhuma para chegar ao hexa. 

Catarina Morazzo
Cada leão que morre, um Masai se levanta 
Ir ao Quénia levou Catarina Morazzo a conhecer um guerreiro. "Tinha uma série de feridas nas pernas e perguntei porquê. Disse-me que era tradição dos Masai, quando chegam a adultos, matar um leão", explicou à ‘TV Guia’. Será desse povo que vêm os árbitros nacionais? 

Luciana Abreu
Criação artística a plenos pulmões 

Após meses de dedicação absoluta às suas gémeas, Luciana Abreu já retomou a carreira. "É muito fácil para mim, com a família que tenho, criar, compor e atuar. Em minha casa respira-se arte", disse à ‘TV Mais’. E é sabido como o ato de inspirar tende a inspirar artistas... 

Sara Matos
Capacidade de reação a improvisos alheios 
‘Vidas Opostas’ está a mostrar o que é ser mãe a Sara Matos. "Já me estou a habituar à bebé, que tem dado muita estaleca. Aprendi a improvisar imenso, porque ela tem três meses e nunca faz o que está escrito", revelou à ‘TV Guia’ quem tem colegas com piores desculpas para não decorarem textos. 





Mais sobre
Newsletter
topo