Sentir

Um disco de memórias com sons que apelam às gerações mais velhas.
31 mar 2018 • 00:30
Fernando Sobral
Os Felt são recordados quase sempre por causa de um tema que contou com a participação da vocalista Liz Fraser, dos Cocteau Twins, ‘Primitive Painters’, ou por causa do belo álbum ‘The Strange Idols Pattern & Other Stories’, de 1984. Mas a qualidade melódica dos seus temas, espalhada por uma década (1979-89) deixou muitos fãs à espera das irregulares aventuras do vocalista Lawrence, alma perfeita do grupo.

Agora a editora Cherry Red reeditou versões remasterizadas dos dez álbuns da banda e isso é um privilégio para os que querem descobrir as melhores memórias da pop britânica desses tempos. Depois do fim dos Felt, Lawrence inventou dois projectos, Denim e Go-Kart Mozart e é com esta designação que surge agora o álbum ‘Mozart’s Mini Mart’, uma gravação que está repleta de referências à cultura pop dos anos 70 do século XX. Canções com nomes como ‘I’m dope’ ou ‘Nub-End in a Coke Can’ dizem muito sobre a vida desses tempos.

Este é o primeiro disco de Lawrence desde ‘On the Hot Dogs Streets’, de 2012, e trata-se de uma obra astuta e quase mitómana sobre esses tempos já desaparecidos. Um tema exemplifica esta mistura de referências: ‘Anagram of we sold Apes’, com os seus sintetizadores e batida firme, falam dos tempos dos Jogos Olímpicos do outro lado da Cortina de Ferro que metaforicamente dividia o Ocidente da então União Soviética. E ‘When You’re Depressed’ faz-nos recordar o Ian Dury de ‘Spasticus Autisticus’, outra lenda da década de 80. Este é um disco de memórias com sons que apelam às gerações mais velhas que cresceram ao som do rock.  
Mais sobre
Newsletter
topo