Confissões
Olívia Ortiz: “Tenho sonhos de princesa”
Atriz conta com o apoio das pessoas mais importantes da sua vida
  • Partilhe
19/10/2013 10H30
Foto: João Miguel Rodrigues

Olívia Ortiz licenciou-se em Fisioterapia mas o sonho da representação falou mais alto. Lutadora e racional, assim se caracteriza. Sem nunca desistir dos seus objetivos, garante que pretende solidificar a carreira de atriz e, para isso, conta com o apoio das pessoas mais importantes da sua vida: a mãe e a irmã.

- Neste momento, participa na telenovela ‘I Love It’ e apresenta o programa ‘Guest List’, ambos na TVI. Como chegou até aqui?

- O meu primeiro contacto com a televisão foi num casting para a série ‘Morangos com Açúcar’. Era aberto a qualquer pessoa e acabei por ficar. Fiz o workshop na Plural [produtora], mas no final acabei por não ficar com nenhuma personagem. No entanto, foi bom porque o meu registo ficou sempre lá e, quando surgiu a personagem ‘Vanessa’, da novela ‘Destinos Cruzados’, eles acabaram por me chamar.

- É difícil conciliar estes projetos com a vida pessoal?

- Neste momento, estou com agenda superpreenchida. Gravo a novela durante o dia, e as reportagens do ‘Guest List’ são à noite. Estou com muito pouco tempo para mim, mas não sinto falta, porque faço aquilo de que gosto.

- É licenciada em Fisioterapia. Como é que o sonho de ser atriz surgiu na sua vida?

- Surgiu completamente ao acaso. O primeiro workshop nos ‘Morangos com Açúcar’ deu-me uma ideia. Na altura ainda estava a terminar o curso e, por isso, não estava muito disponível. Mas quando terminei a licenciatura quis voltar a experimentar. Abriu-me a vontade de querer mais. Procurei mais formação como atriz e, aos poucos, apaixonei-me pela representação.

- Sente que ainda lhe falta fazer muita coisa nesta área?

- Na verdade, ainda estou a tentar encontrar-me. Não sei onde me sinto mais à vontade, se na representação ou na apresentação.

- Interpreta a personagem ‘Helena’ na telenovela ‘I Love It’. Como é que a define?

- A ‘Helena’ tem uma história muito engraçada. É muito sonhadora, tem uma enorme paixão pela música e quer fazer disso uma carreira. Ela vai deparar-se com um acontecimento inesperado que vai afastá-la deste sonho. Vai acabar por entrar numa espiral destrutiva e cometer as maiores loucuras. Vai autodestruir-se e isso é o mais interessante.

- Em algum momento se identifica com a ‘Helena’?

- Sou parecida com a ‘Helena’ na maneira de tirar fotos. Dou por mim a tirar como se fosse ela. Ela é muito de festas, extrovertida, e para mim é preferível estar em casa com um balde de pipocas.

- Como é que se preparou para esta personagem?

- O ‘Guest List’ está a ser uma ajuda espetacular porque contacto com muita gente e faço a minha pesquisa e estudo.

- Foi uma das musas da marca de lingerie Triumph. Trabalhou ao lado de mulheres como Cláudia Vieira, Helena Coelho e Luísa Beirão. Como foi a experiência?

- Sou uma mulher lutadora e que quer alcançar todos os seus objetivos. Aproveito todas as oportunidades que me surgem na vida. Vou sempre à luta. Foi um casting aberto. Fui passando as eliminatórias e consegui. A experiência foi espetacular.

- Sente que é uma musa?

- Não sei se sou ou não, mas gostava muito. Uma das coisas mais bonitas que podemos alcançar na vida é inspirar alguém.

- Como se define?

- Sou muito feminina, divertida e racional. Sou aventureira e gosto de experimentar coisas novas. Quero aprender e, quando caio no chão, não fico a chorar, levanto-me e sigo em frente.

- Como foi a sua infância?

- Correu tudo muito bem. Tive uma infância muito feliz porque tive a sorte de estar rodeada de pessoas que gostam muito de mim e que sempre fizeram o máximo para me proporcionar todas as coisas.

- Mas afirmou, numa entrevista, que o seu núcleo familiar é composto por duas pessoas [mãe e irmã]...

- Sim, é verdade. É composto pela minha mãe e pela minha irmã, que são as pessoas mais importantes da minha vida.

- Porque é que não tem relação com o seu pai?

- Esse é um assunto sobre o qual prefiro não falar nem comentar.

- Considera-se uma rapariga mimada?

- Sim, sou mimada, mas penso que a minha irmã seja mais do que eu. A Marta acabou por ser mimada por mim e pela minha mãe. Foi uma dose redobrada.

- Saiu de casa, na Amora, aos 17 anos para estudar em Castelo Branco. Isso obrigou-a a crescer muito rapidamente?

- Quando não se tem uma universidade perto de nossa casa, tem de se ir viver para fora. Isso acontece a 90% das pessoas, e comigo não foi diferente. Na minha opinião, foi muito bom. Aprendi a gerir o meu dinheiro, a ser metódica com os horários e a levantar-me sozinha todas as manhãs. Era eu a preparar as refeições e a lavar a roupa, e acho que isso é muito importante. Cresci de uma maneira muito positiva.

- Sempre foi uma rapariga discreta…

- Num grupo de amigos, eu sou a pessoa que segue o líder, mas o facto de ter mudado de casa e de escola fez com que aprendesse a ser mais comunicativa. Passei a sair mais vezes do meu casulo.

- Aos 18 anos, teve um problema de saúde grave [embolia pulmonar]. Passou a dar mais valor à vida?

- Claro. Tudo o que eu já vivi fez com que fosse uma pessoa muito térrea. Não me deixo deslumbrar. Com tudo o que já passei, aprendi a dar valor às coisas que verdadeiramente importam.

- A sua mãe apoiou-a desde o início na carreira de modelo e atriz?

- Desde o início, não. O primeiro contacto foi um choque, mas, quando quero, eu consigo ser muito persuasiva. Uma das minhas virtudes é argumentar, e soube justificar o porquê de querer ser modelo. Quando a minha mãe percebeu que era o que realmente me fazia feliz, deu-me todo o apoio. Nunca encontra defeitos.

- Em criança era muito namoradeira?

- Nada. Eu fui a última das minhas amigas a ter o primeiro namorado, e o meu primeiro beijinho foi muito tarde. Nunca fui namoradeira e ainda hoje não o sou.

- Nasceu e viveu em Paris até aos cinco anos. Quando chegou a Portugal, sentiu dificuldade de criar laços de amizade?

- Era muito pequenina porque tinha cinco anos. Tive dificuldade em falar português, mas lembro-me que era tudo uma novidade.

- A sua última relação [com o ex-manequim Pedro Correia] foi a única a ser assumida. Porquê?

- Quando se escolhe uma profissão que é para as pessoas, está-se sempre sujeita à opinião delas. Gosto que o público tenha opinião em relação ao meu trabalho e não à minha vida privada. Quero que me reconheçam como a Olívia atriz.

- Então está solteira?

- Sim, estou solteira. Tenho a agenda tão preenchida que o meu namoro é com o meu trabalho.

- Com esta profissão, sente que teve de fazer escolhas na vida?

- Quando estamos a trabalhar para construir uma carreira, há muitas escolhas que temos de fazer. Passei da novela ‘Destinos Cruzados’ para o ‘I Love It’ e abdiquei de ter férias de verão. Foi uma escolha minha. Quero consolidar o meu trabalho como atriz. Tento definir objetivos e trabalhar nesse sentido.

- Tem algum lema de vida?

- Costumo dizer que a vida é como um barco: não interessa o porto, o mais importante é a viagem e as pessoas que levamos connosco. Acredito muito em clichés e frases feitas.

- Considera-se uma pessoa positiva em relação à vida?

- Tento sê-lo todos os dias, absorver o que de mais bonito me acontece na vida. Temos de eliminar as coisas negativas e agarrarmo-nos às boas memórias.

- Tem 26 anos. O principal objetivo é consolidar a carreira?

- Neste momento, estou a ter uma oportunidade para mostrar trabalho. As coisas têm acontecido de uma forma gradual, o que me tem permitido aprender e crescer. Eu não vou para casa com tempo para pensar em mais nada.

- Sonha em casar-se?

- Claro que sim. Gostava de me casar e ser uma mãe de família. Quero muito construir uma família e ter filhos. Tenho sonhos de princesa.

- O que é que um homem tem de fazer para a conquistar?

- Na verdade, não existe uma receita. Basta comunicação e honestidade. Adoro homens charmosos. Temos de ser um para o outro.

- Enquanto atriz, serve-se muito das redes sociais. Que relação é que tem com os fãs?

- Hoje em dia, as redes sociais são uma ferramenta muito importante, porque é a primeira plataforma onde consigo ter uma opinião direta das pessoas e estar em contacto com elas.

- E já recebeu alguma declaração de amor?

- Já fui pedida em casamento… Eu achei muito giro. Foi um fã que me mandou uma mensagem no Facebook...

- É muito assediada na rua?

- Não. Nesse aspeto, faço a minha vida de forma normal. Nunca tive momentos constrangedores ou que me deixassem pouco à vontade.

- No final do dia, quando chega a casa, sente que é uma mulher concretizada?

- Ainda não estou concretizada mas sinto que cada vez estou mais próxima. A cada dia que passa acredito mais em mim e no que posso fazer. Sou muito feliz por tudo aquilo que estou a viver, mas ainda não sinto a realização completa.

INTIMIDADES

- Quem convidaria para um jantar a dois?

- Uma pessoa especial.

- Quem é o homem mais sexy do Mundo?

- O ator Channing Tatum.

- O que não suporta no sexo oposto?

- Egocentrismo.

- Qual é o seu maior vício?

- Sem dúvida, o telemóvel.

- O filme da sua vida?

- Um dos vídeos de que eu mais gosto é um meu em pequenina onde ainda falava francês e morava em França. É a ingenuidade no estado mais puro.

- Cidade preferida?

- Uma das cidades onde fui mais feliz é Amesterdão. Vivi experiências espetaculares e conheci pessoas fantásticas.

- Um desejo?

- Dar a volta ao Mundo.

- Complete. A minha vida é…

- Uma história que ainda está nos primeiros capítulos.

PERFIL

Olívia Ortiz nasceu em Paris, França, no dia 13 de fevereiro de 1987. Veio com cinco anos para Portugal e licenciou-se em Fisioterapia. Tornou-se conhecida ao protagonizar uma campanha publicitária em lingerie para a marca Triumph. Atualmente, participa na novela ‘I Love It’ (TVI).

Fotogaleria de Olívia Ortiz
Ler mais tarde
A notícia foi guardada na sua lista de notícias favoritas. Faça a gestão dessa área na sua conta.
Partilhe
0
Comente
0
OPINIÃO
  • Improváveis da semana
    Patrick Watson chamou a palco Ana Moura e juntos recordaram Lhasa de Sela.
    Querido Tio Marcelo
    Não há memória de um presidente com esta forma simples de abordar a vida.
  • Não há nada para celebrar!
    De efemérides Pedro Abrunhosa não quer nem ouvir falar.
    Vida
    A melancolia está presente como uma nuvem que percorre o disco.
  • A vida de um ‘gajo’ porreiro
    Futebol... É mesmo um gajo porreiro este António Zambujo, ‘porreiro’ em todo o sentido lato do termo.
    Uma decisão histórica
    Justiça... Numa altura em que muitas das ligações entre artistas e editoras eram fixadas através dos chamados ...
  • Doçura
    Robyn segue uma visão pessoal num mundo nivelado pelo gosto comum.
    Política
    Neneh Cherry nem quer ouvir falar do actual presidente americano.
horóscopo
EM DESTAQUE
SAGITÁRIO
23 NOVEMBRO - 21 DEZEMBRO
OUTROS SIGNOS
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina