A queda de Joe Berardo que deve quase mil milhões de euros à banca

Em 2007, era o quinto homem mais rico do País, mas agora corre o risco de ver os seus bens penhorados pelo estado português. Saiba como o madeirense tenta salvar a sua fortuna...
Joe Berardo
Joe Berardo
Joe Berardo
Joe Berardo
 Joe Berardo
 Joe Berardo
 Joe Berardo
Joe Berardo
Joe Berardo
Joe Berardo
Joe Berardo
 Joe Berardo
 Joe Berardo
 Joe Berardo
19 mai 2019 • 13:32
Patrícia Correia Branco
Nas últimas semanas, Joe Berardo tem estado no centro de todas as atenções... e não pelos bons motivos.

O empresário de 75 anos é acusado de dever quase mil milhões de euros a três bancos - BCP, Caixa Geral de Depósitos (CGD) e Novo Banco - e corre o risco de ver muitos dos seus bens penhorados, inclusive a sua famosa coleção de arte - uma das melhores e mais ricas coleções privadas da Europa.

Ainda assim, o madeirense esteve no Parlamento e garantiu que não deve nada a ninguém.

Em 2007, Joe Berardo foi considerado o quinto homem mais rico do país e já na altura lhe tinha sido atribuído o grau de Comendador da Ordem do Infante D. Henrique. Tinha negócios em várias áreas, como a Quinta da Bacalhôa, a Fundação Berardo e a Metalgest.

Era também dono de uma posição de 7% no BCP, que comprou com créditos concedidos pelos três bancos que agora reclamam a dívida. Só que estes créditos não foram feitos em seu nome, mas sim em nome de outras entidades, como a Fundação Berardo, uma IPSS (Instituição Particular de Solidariedade Social), ou a empresa Metalgest. Daí Berardo afirmar que não deve nada a ninguém.

A carregar o vídeo ...
Primeiro projeto da estilista pode estar à beira do fim.



O estatuto de que o madeirense gozava na altura terá levado a Caixa, o BCP e o Novo Banco a concederem-lhe estes créditos sem acautelar as devidas garantias. O empresário acabou depois por dar a sua coleção de arte como garantia, no entanto, agora afirma que também estas obras (avaliadas em mais de 315 milhões de euros) não são suas. Pertencem todas à Associação Coleção Berardo.

Uma das estratégias dos três bancos, que iniciaram uma ação judicial conjunta para exigir 962,16 milhões de euros (Berardo deve-lhes 980 milhões), será então a de provar que o comendador é o último beneficiário das empresas que estão na sua esfera, e conseguir penhorar alguns dos seus bens para minimizar os danos.

Ao contrário do que muitos possam pensar, Joe Berardo não nasceu em berço de ouro. É natural do Funchal e o seu verdadeiro nome é José Manuel Rodrigues Berardo. Assim que atingiu a maioridade, emigrou para Joanesburgo, na África do Sul (onde ganhou o nome pelo qual é conhecido).

Fez fortuna no negócio do ouro e dos diamantes e regressou a Portugal nos anos 80. Foi ainda em terras africanas que conheceu a mulher, Carolina Conceição, com quem se casou em 1969, e da qual tem dois filhos, Renato e Cláudia.
Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo