Ao Zambujo o que é do Chico

As primeiras discografias que completou foram as de Tom Waits e Chico Buarque.
24 jun 2017 • 00:30
Miguel Azevedo
Admiração... As primeiras discografias que completou foram as de Tom Waits e Chico Buarque. Foi lá atrás, ainda na infância, que António Zambujo começou a ouvir o músico brasileiro, "até porque as suas canções eram muito populares lá por casa", em Beja. E assim cresceu, com uma admiração imensa que se explica na expressão: "Chico é Chico", dizia-me ‘Zambas’ a propósito do disco de homenagem ao cantor brasileiro ‘Até Pensei que Fosse Minha’, que esta noite leva ao Coliseu de Lisboa. "Curiosamente a minha entrada na música brasileira até se deu pelas canções de João Gilberto. Foi por causa dele que eu comecei a procurar outros autores, passando obviamente pelo Tom Jobim e pelo Vinicius. Só que depois cheguei ao Chico Buarque". Diz que o prémio Nobel atribuído a Bob Dylan também podia ter ido perfeitamente para as mãos de Chico, que Chico reúne o que de melhor existe num músico e numa pessoa, que Chico lhe liga sempre no dia de anos, que Chico é do Benfica, que Chico é isto e aquilo, que Chico é tudo e muito mais. António Zambujo conheceu Buarque há três anos no Rio de Janeiro e depressa percebeu que mais do que música, havia muita conversa para pôr em dia, como se tivesse com ele privado toda a vida. "Quando conheci o Chico percebemos que assunto era coisa que não nos faltava. Ambos gostamos de estar à mesa a conversar, a falar desde música a futebol". Quando decidiu gravar um disco de homenagem a Chico, António Zambujo nunca contou que Chico quisesse fazer parte dele. E Chico não só apareceu em estúdio como ainda gravou uma canção. Chegou a fazer pequenas correções às letras e ‘deixou’ Zambujo gravar as suas composições como se fossem dele. E é por isso que, se já era injustificável não conhecer o disco, é quase crime perder o espetáculo.     
Mais sobre
Newsletter
topo