Humildade e coragem

Ainda na semana passada, Morrissey afirmou, perante a dificuldade em conseguir uma nova editora, que jamais recorreria à plataforma do Crowdfunding (peditório online) para lançar um novo disco, porque isso era "humilhante" e uma "ofensa aos fãs".
09 mai 2015 • 18:00
Miguel Azevedo

Peditório... Entendimento exatamente oposto teve a Brigada Victor Jara, que ao final de 40 anos de carreira bateu todos os recordes no Crowdfunding em Portugal ao conseguir 23 600 euros de financiamento, muito acima dos 7 500 inicialmente pretendidos. "Foi uma necessidade e uma forma de testarmos também o público, mas não foi totalmente consensual entre nós. O facto é que acabou por se revelar uma boa campanha de marketing, porque em apenas uma semana conseguimos atingir o nosso objetivo", diz Catarina Moura. "Hoje, temos de usar estes novos meios que se sobrepõem às editoras, que durante muitos anos deram muitos tiros nos pés e trataram muito mal os artistas", desabafa o veterano Arnaldo Carvalho.

ADN...
Tal como Júlio Iglésias, também Roberto Carlos foi ao longo da sua carreira um alvo apetecível e uma vítima das mulheres. Muitas foram aquelas que ao longo dos anos apareceram a dizer que tinham um filho seu e a exigir um teste de ADN. "Hoje, quando ouço alguém dizer isso, já só estendo o braço e espero para ver o que dá", ironizou numa recente entrevista.

Sugestão...
Fabuloso, o disco ‘Soundtracks Vol.I’, de André Barros, um jovem que estudava Direito e que de forma autodidata começou a tocar piano. No currículo, já tem um galardão para melhor banda sonora no Los Angeles Independent Film Festival. Entre o contemporâneo, o clássico e o universo das bandas sonoras.

Mais sobre
artigos relacionados
Newsletter
topo