Ou outros festivais

Longe de Lisboa e Porto, há festivais de música a ganhar cada vez mais protagonismo.
21 jul 2018 • 00:30
Para ouvir... Se é verdade que são os grandes festivais que consomem o grosso da atenção mediática e do público, o facto é que existe também um circuito de outros festivais teoricamente menores (com orçamentos muito mais reduzidos), que vai alimentando o outro Portugal, o Portugal que vive fora do eixo das grandes cidades ou na periferia dos grandes eventos.

Numa altura em que o Porto já acolheu o Primavera Sound, em que Lisboa já recebeu o Rock In Rio e o Alive e se despede este sábado do SBSR, há outros festivais, para lá dos pesos pesados que merecem atenção. Em Sines, por exemplo, está já a decorrer, desde quinta–feira, e até dia 28, o já mítico Festival de Músicas do Mundo, um festival de verdadeiro serviço público que, nesta 20ª edição, acolhe músicos de 38 países e regiões, da Alemanha ao Zimbabué, da França ao Bahrein.

A decorrer desde quinta-feira, mas virado para sonoridades bem mais pesadas, está também o WoodRock Festival, ele que se despede hoje da praia do Quiaios na Figueira da Foz. Sons pesados em cenário campestre já se ouvem também na freguesia de Ruilhe, em Braga, graças a mais uma edição do Rodellus, festival que junta rock e metal.

Mais a norte, o Gerês recebe pela 2º vez o Gerês Rock Fest, dias 27 e 28, um festival que se tem Moonspell e Linda Martini como cabeças de cartaz para agradar aos portugueses, tenta também piscar o olho a Espanha. Quem também volta a insistir no metal é o Laurus Nobilis Music Fest (de 26 a 28 julho) em Vila Nova de Famalicão. Destaque ainda para o Festival Caloura Blues nos Açores (27 a 29 de Julho), para o Festival do Lavre em Montemor-o-novo (27 a 30 de Julho) ou para o já lendário Boom Festival em Idanha-a-Nova que começa este domingo e termina dia 29. E em Agosto há mais.  
Mais sobre
Newsletter
topo